quinta-feira, 30 de setembro de 2010

SOU MULHER QUE ENCANTA* O VÍDEO MOSTRA EM QUE ME INSPIRO. BOM FIM DE SEMANA, COM ALEGRIA E AMOR*





Sou mulher que encanta

Qual flor

Sacudida

Pelos ventos

Meus atrativos

Presentes em todos os tempos

Cintilam

Tenho cálices redondos e rosados

Formas curvilíneas

Cheiros açucarados

E sei fazer feitiços

Que entretecem

A vida

Dos homens e das flores

É a e.terna Mulher, que somos todas nós*****

@  Renata Cordeiro




terça-feira, 28 de setembro de 2010

VOCÊ NÃO ME ENSINOU A TE ESQUECER* E EU GOSTAVA TANTO DE VOCÊ, GOSTAVA TANTO DE VOCÊ*




VOCÊ NÃO ME ENSINOU A TE ESQUECER* E EU GOSTAVA TANTO DE VOCÊ, GOSTAVA TANTO DE VOCÊ* 



Não vejo mais você faz tanto tempo 

Que vontade que eu sinto de olhar em seus olhos 

Ganhar seus abraços, é verdade eu não minto 

E nesse desespero em que me vejo 

Já cheguei a tal ponto de me trocar diversas vezes por você 

Só prá ver se te encontro 

Você bem que podia perdoar e só mais uma vez me aceitar 

Prometo agora vou fazer por onde nunca mais perdê-la

Agora que faço eu da vida sem você ? 

Você não me ensinou a te esquecer 

Você só me ensinou a te querer 

E te querendo eu vou tentando te encontrar 

Vou me perdendo buscando em outros braços seus abraços 

Perdido no vazio de outros passos 

Do abismo em que você se retirou e me atirou 

E me deixou aqui sozinho 

Agora que faço eu da vida sem você ? 

Você não me ensinou a te esquecer 

Você só me ensinou a te querer 

E te querendo eu vou tentando me encontrar 

E nesse desespero em que me vejo, 

Já cheguei a tal ponto de me trocar 

Diversas vezes por você só prá ver se te encontro


Você bem que podia perdoar e só mais uma vez me aceitar 

Prometo agora vou fazer por onde nunca mais perdê-la 

Agora que faço eu da vida sem você ? 

Você não me ensinou a te esquecer 

Você só me ensinou a te querer 

E te querendo eu vou tentando te encontrar 

Vou me perdendo buscando em outros braços seus abraços 

Perdido no vazio de outros passos 

Do abismo em que você se retirou e me atirou 

E me deixou aqui sozinho 

Agora que faço eu da vida sem você ? 

Você não me ensinou a te esquecer 

Você só me ensinou a te querer 

E te querendo eu vou tentando me encontrar 


Vou me perdendo buscando em outros braços seus abraços 

Perdido no vazio de outros passos  

Do abismo em que você se retirou e me atirou 

E me deixou aqui sozinho 

Agora que faço eu da vida sem você ? 

Você não me ensinou a te esquecer 

Você só me ensinou a te querer 



E te querendo eu vou tentando me encontrar 


Composição: Fernando Mendes / José Wilson / Lucas

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

DO AMOR*Gibran Kahlil Gibran* E COM AMOR* BOM FIM DE SEMANA E BOA SEMANA******

DO AMOR E COM AMOR* BOM FIM DE SEMANA E BOA SEMANA*

O amor não tem outro desejo

Senão o de atingir a sua plenitude.



Se, contudo, amardes e precisardes ter desejos,

Sejam estes os vossos desejos:

De vos diluirdes no amor e serdes como um riacho

Que canta sua melodia para a noite;

De conhecerdes a dor de sentir ternura demasiada;

De ficardes feridos por vossa própria compreensão do amor

E de sangrardes de boa vontade e com alegria;

De acordardes na aurora com o coração alado

E agradecerdes por um novo dia de amor;

De descansardes ao meio-dia

E meditardes sobre o êxtase do amor;

De voltardes para casa à noite com gratidão;

E de adormecerdes com uma prece no coração para o bem-amado,

E nos lábios uma canção de bem-aventurança. 



terça-feira, 21 de setembro de 2010

TRANQÜILA.



TRANQÜILA



Anjo fada incandescente


Nas sendas da Floresta


Imperceptivelmente


Sossegada sedosa


Pouso tranqüila


Escuto me recosto


À sombra frondosa


Macia delicada


De uma árvore


Suave se diria


Que é de mármore


 Estendo a mão 


E os passarinhos


Pousam-me nas palmas


Permanecem no coração


Não me ouso mexer


Nada se compara


A aprender a libertar


A alma aprisionada


Perder pelo tempo


Ao vento, a andança


Destrançar a trança


Sem deixar endereço


A paga pelo apreço


Que não tem preço


Voar vogar viajar


Voltar


Recomeçar


Renata Maria Parreira Cordeiro

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

A FESTA





A FESTA



Já falei tantas vezes

Do verde nos teus olhos

Todos os sentimentos me tocam a alma

Alegria ou tristeza

Se espalhando no campo, no canto, no gesto

No sonho, na vida

Mas agora é o balanço

Essa dança nos toma

Esse som nos abraça, meu amor



O teu corpo moreno

Vai abrindo caminhos

Acelera meu peito,

Nem acredito no sonho que vejo

E seguimos dançando

Um balanço malandro

E tudo rodando

Parece que o mundo foi feito prá nós

Nesse som que nos toca



Me abraça, me aperta

Me prende em tuas pernas

Me prende, me força, me roda, me encanta

Me enfeita num beijo



Pôr do sol e aurora

Norte, sul, leste, oeste

Lua, nuvens, estrelas

A banda toca

Parece magia

E é pura beleza

E essa música sente

Parece que a gente

Se enrola, corrente

E tão de repente você tem a mim



Me abraça, me aperta

Me prende em tuas pernas

Me prende, me força, me roda, me encanta

Me enfeita num beijo



Já falei tantas vezes

Do verde nos teus olhos

Todos os sentimentos me tocam a alma

Alegria ou tristeza

Se espalhando no campo, no canto, no gesto

No sonho, na vida

Mas agora é o balanço

Essa dança nos toma

Você tem a mim



Composição: Milton Nascimento